Pesquisa neste blog =D

1.10.09

Intensidade

Eu fico admirado em como os judeus tratam a D*us. Eles não escrevem Seu nome (como eu fiz agora) e são (pelo menos estereotipicamente) ritualistas e reverentes. Nós cristãos, acho que se valendo da dita 'graça', tratamos Ele como um amigo bem chegado, que apesar de se manter numa hierarquia mais alta, é de se chegar com dois tapinhas nas costas e conversar de política (se é que me entendem).

Acho que por falar muito em Deus aqui no blog, acabo criando uma imagem equivocada de mim (pra quem não me conhece, ou me conhece pouco, ou me vê só na igreja), do tipo daquele adolescente exemplo de cristão que lê a Bíblia todo dia, 'medita nela dia e noite' e vive uma vida bem regradinha dentro dos limites do definido como "padrão cristão".

Mas não sou bem assim. Sou homem como todo mundo (ou talvez mais humano do que muito crente). Tenho meus defeitos: observo as gurias bunitas que passam por mim na rua (apesar de ter namorada) - lógico, deixando de lado a vulgar olhada pra tras e o comentário mental tipicamente masculino (do tipo "gostosa"), de vez em quando externalizado pelos mais testosteronizados; junto o dinheiro que encontro no chão sem nenhum remorso de a pessoa que perdeu ficar sem ele; (as vezes) não devolvo o troco que a mulher do caixa me deu a mais quando paguei numa nota muito grauda; etc... Sou pecador, a coisa mais comum que existe.

A maior diferença entre o cristão e o não-cristão (ou talvez uma das maiores diferenças - pra não me comprometer com o tamanho das diferenças) é que o cristão tem uma consciencia mais 'atuante' pelo que faz ou deixa de fazer (divinamente inspirada pelo Espírito Santo). Se eu fosse um adolescente não-cristão de 18 anos provavelmente estaria bebendo bastante cerveja nos finais de semana e tentando tranzar (sim, com Z... ninguém lembra da regrinha do S dobrado?) com quantas gurias eu conseguisse em festas onde a música rola alto e a luz é pouca. Tá certo que isso é um pouco estereotipado, mas sinceramente, é exatamente o que eu humanamente quero fazer se abstrair todos os meus escrúpulos de consciencia.

Apesar do efeito "menino-exemplo" que o Espírito Santo acaba me fazendo ser por não viver como as pessoas do mundo, as vzs, exatamente por abstrair meus escrupulos de consciencia, cometo pequenos deslizes como os que eu comentei dois paragrafos acima. E é por essa minha 'inconstancia' cristã que eu posso compreender as falhas dos meus irmãos.

É de se compreender muito bem que todos os cristãos passem por essa mesma situação do tipo "putz, rateei" tipica de quem tem um padrão moral mais rígido que o comum (como no caso, nós =D). Infelizmente (paradoxalmente) nossos irmãos, quando caem, nem sempre são bem entendidos. No momento exato que precisam de ajuda e apoio para se reerguerem e corrigirem o ponto falho são acusados de todos os lados pelos irmãos que não conseguem enchergar suas próprias falhas (oras, alguns tem falhas visíveis pra todo mundo; outros tem falhas ocultas... mas que continuam sendo falhas).

Jesus mandou que suportassemos uns aos outros; que se alguem falhar contigo, oferecesse a oportunidade de falhar mais uma vez (no caso "se alguem lhe der um tapa, oferecer a outra face tbm); pregou o amor ao proximo e o perdão 70x7 (ou seja, sempre). Paulo também escreveu na carta aos Gálatas (se não me engano) que cada um carregasse o seu fardo e ajudasse o irmão a carregar o fardo dele (note bem: ajudar a carregar o fardo, não apontar quando o irmão falhar). Tiago (se não me engano) disse que todos somos iguais e que se alguém julga o próximo, se coloca como superior ao próximo, e não há superior senão Deus.

Finalmente, como se não bastassem as palavras de Jesus e seus seguidores, Deus está constantemente compreendendo nossos erros. Se não fosse assim, Ele não me daria inspiração pra estar escrevendo agora (mesmo sendo cheio de falhas). Deus é o cara mais gente boa do mundo, compreende de tudo (tudo suporta, como disse Paulo em Romanos tratando do Amor; Se Deus é amor, então dá na mesma). E apesar de não sermos ritualistas com Ele e nem termos tanta 'reverencia' (como os judeus do comeco do post), Ele nos escuta e nos perdoa sempre que falhamos quando nossa consciencia nos acusa, inspirada pelo Espírito Santo, baseada no código de conduta cristã (subconsciente).

[Deus é um cara tri legal, tri gente boa. Mas não da pra esquecer que Ele é todo poderoso e infinitamente superior. Com Deus não se brinca]

Um post prático

Paztejamos =D

Um comentário:

  1. Deus te abençoe!!



    Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém. 2 pedro 3:18

    ResponderExcluir

Dá um apoio moral pro blogueiro aqui.
Comenta aí ó: