Pesquisa neste blog =D

19.2.10

Meu Pentecostalismo Defeituoso

Eu devo ser um pentecostal defeituoso. Por quê? Porque certo pregador afirma que: “pentecostal que não faz barulho está com defeito de fábrica”. E eu sou qualquer coisa, menos barulhento. O conferencista talvez deva pensar que a origem correta da fé está em, primeiro, atender ao apelo evangelístico, em meio a gritos e soluços, e posteriormente (ou no mesmo momento), falar em línguas estranhas, de preferência (ou obrigação?) em voz alta. Ou seja, um pentecostal deve originar-se no barulho e prosseguir no barulho. Pois o barulho seria a vontade, ou, como já ouvi, o jeito (?) do Eterno.

Todavia, eu, o “pentecostal defeituoso”, gostaria de fazer 3 observações sobre o assunto:

1. Jesus, e não o pentecostes, é o centro da Bíblia : Ele é o Messias que afirmamos seguir.Dele, testemunha toda a Escritura. Sua explicação da Palavra é a nossa norma, pois afinal deveríamos ser seus discípulos, não é mesmo? E barulho não é algo crucial nessa caminhada.

2. Pentecostes é uma festa, por “mais incrível que pareça”: O Shavuot (“Semanas”), também chamada Festa da Colheita, (Êxodo 23.16, Atos 2.1) é uma das três festas de peregrinação a Jerusalém, onde se ofereceria as primícias da colheita ao Eterno. Pentecostes é o nome grego da festa. Bom, e o que isso tem a ver com o Pentecostes, ou melhor, com o derramamento do Espírito? Há uma tradição que relaciona a Festa da Colheita com a entrega da Lei no Sinai. E o Espírito Santo, sendo derramado bem nessa festa, significaria o que? Ao que parece, o início de uma santificação renovada nos corações dos discípulos? Sendo assim, isso nos leva a:


3. O “jeito” do Eterno é “santidade” e não “barulho”: (Levítico 19.2) O Eterno identifica-se como “santo”, e deseja que nós sejamos “santos”. Ou seja, comprometidos a viver de acordo com a sua verdade. Por isso devemos ser “Nação Santa”, e não povo barulhento. Por que o Santo pode apresentar-se em meio a relâmpagos e trovões, como fez no Sinai, mas também na calmaria, como fazia com os profetas.

Nosso compromisso é, antes de tudo, com Jesus. O que ocorreu na Festa das Semanas (Pentecostes), deveria ser instrumento para segui-lo melhor, e não um cavalo de batalha por si só. E, como vemos, a Festa das Colheitas propriamente dita indica santidade e dependência, e não barulho e tumulto. Os apóstolos e demais discípulos entendiam perfeitamente isso. É isso que Ele, que muitas vezes fala em meio a um ruído de uma leve brisa, mas não menos poderoso: santidade, e não barulho.

Bom, acho melhor continuar com meu "pentecostalismo defeituoso" e aventurar-me no discipulado, do que gritar e chorar uma vez por semana e chamar isso de “vida cristã”.

Paz tejamos

3 comentários:

  1. 1 Reis 19:
    11 E Deus lhe disse: Sai para fora, e põe-te neste monte perante o SENHOR. E eis que passava o SENHOR, como também um grande e forte vento que fendia os montes e quebrava as penhas diante do SENHOR; porém o SENHOR não estava no vento; e depois do vento um terremoto; também o SENHOR não estava no terremoto;
    12 E depois do terremoto um fogo; porém também o SENHOR não estava no fogo; e depois do fogo uma voz mansa e delicada.

    Para os "pentecostalistas" vento forte, terremoto e foto são sinais de poder, de fevor, de presença de Deus. Mas não foi o que aconteceu com Elias. Deus não estava em nenhum desses supostos sinais da presença de Deus. Deus veio depois de tudo isso. Deus veio manso e com voz delicada.
    Quando Deus quis falar com Moisés Ele se revelou numa sarça pegando fogo ou no fogo sobre uma sarça (dependendo do ponto de vista), mas o engraçado é que a sarça não era consumida, não era queimada.
    Não sei se vocês já perceberam, mas quando há combustão (alguma coisa queimando) há barulho. Isso se deve, para dá uma explicação bem superfícial, pela quebra das ligação, compostos são quebrados e há formação de outros. Mas, como não havia tais coisas (destuição da sarça) lá na sarça que Moisés viu eu posso entender que não havia barulho ali onde Deus estava para falar com Moisés (isso é que é poder!).
    A conclusão disso tudo é:
    Deus pode se revelar como fogo, mas para tal não precisa de barulho e nem de destruição. Em outras palavras barulho (zuada), nesse contexto, não é sinônimo de presença de Deus muito menos do seu poder.

    Muito bom texto Felipe que Deus continue te abençoando e a este blog.

    o/

    ResponderExcluir
  2. 1º Coríntios 14
    1 SEGUI o amor, e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de profetizar.
    2 Porque o que fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.
    3 Mas o que profetiza fala aos homens, para edificação, exortação e consolação.
    4 O que fala em língua desconhecida edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja.
    5 E eu quero que todos vós faleis em línguas, mas muito mais que profetizeis; porque o que profetiza é maior do que o que fala em línguas, a não ser que também interprete para que a igreja receba edificação.
    [...]
    19 Todavia eu antes quero falar na igreja cinco palavras na minha própria inteligência, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua desconhecida.
    [...]
    27 E, se alguém falar em língua desconhecida, faça-se isso por dois, ou quando muito três, e por sua vez, e haja intérprete.
    28 Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus.
    29 E falem dois ou três profetas, e os outros julguem.
    30 Mas, se a outro, que estiver assentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro.
    31 Porque todos podereis profetizar, uns depois dos outros; para que todos aprendam, e todos sejam consolados.
    32 E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas.
    33 Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos.

    E seguiria por ai...

    A verdade é que os dons do Espírito existem, todos sabemos e devemos acreditar nisto ou estaremos negando a veracidade da Bíblia, no entanto, 1 Cor 14 é exatamente uma advertência quanto a não haver CONFUSÃO na Igreja, ou seja, nada de barulho, nada de gritaria e bagunça! Ao contrário, o que Paulo estava tentando fazer era colocar ordem naquela CONFUSÃO.

    Infelizmente o que se vê hoje são igrejas que preferem ser como a Igreja de Corinto e viver na CONFUSÃO. Dai entra um não-crente na igreja e sai escandalizado com toda a bagunça que ele viu lá e não consegue compreender nada daquele culto e ao contrário acaba se afastando daquele "bando de malucos".

    Recomendaria que você continuasse a ser um "Pentecostal Defeituoso" porque você é que está certo! Este pregador e quem te criticar é que está errado e para estes, recomendo que leiam as orientações de Paulo aos Coríntios...

    Fique na Paz do Senhor e se desejar dê uma olhada em meu blog:
    http://mantenedordafe.igrejinha.org.br

    André

    ResponderExcluir
  3. corintios 14... é um dos nossos textos preferidos :P

    o negocio é ser crente, independente de barulheira. Tipo, se comporta santamente, da bom exemplo, faz o que Deus quer que agente faca, ama ao proximo e a Deus =D

    barulho é acessorio (e acessório beeeem inconveniente ¬¬)

    ResponderExcluir

Dá um apoio moral pro blogueiro aqui.
Comenta aí ó: