Pesquisa neste blog =D

4.2.10

Mundo Muçulmano

To a tempo querendo olhar esse vídeo, mas nunca tinha saco de carregar.



a minha consideração é a seguinte: nem todo muçulmano de raça é muçulmano de religião. Além do que sempre existe o pragmatismo religioso que faz com que as pessoas misturem a crença histórica a crença local. Outro dia um amigo comentou que tem candomblé que lê a Bíblia (?).

Eu sinceramente não creio que o islamismo vai ser grandes coisa. Pode até ser super difundido (como cultura japonesa), mas não acho que vai ter mobilização em massa pra virar pra Meca xD

Acho que no maximo o islamismo vai ser igual a igreja católica: cheia de adeptos, vazia de praticantes [além de que, na grande maioria, vão estar entupido de crenças confusas, semelhantemente ao cristianismo atual - tanto católico quanto evangélico].

Além de que o vídeo não leva em conta a proliferação de outras culturas, como as da Africa e Ásia. As taxas de fertilidade são inversamente proporcionais ao desenvolvimento [por isso a Europa ter uma taxa tão baixa], e bem sabemos que Africa e Ásia tem muuuitissimas culturas pobres (de dinheiro, não de crença, reconheço, apesar de ser cristão) com crenças tão diferentes ao cristianismo quanto o islamismo. Essas coisas se alimentam uma das outras: um adepto do islã pode se converter ao budismo, e vice-versa.

Da mesma forma, qualquer um nascido em casa islamica (ou qualquer outra cultura) pode se converter ao cristianismo (e vice-versa, lembre-mo-nos). Lembro aqui de uma matéria do Mensageiros da Paz que uma vez divulgou um dado interessante para esse assunto: o islamismo e o cristianismo são as duas maiores religiões do mundo: o islamismo por taxa de natalidade e o cristianismo por taxa de conversões (não me pergunte qual o mensageiro que eu nao vou saber dizer).

Enfim, pra mim isso ae é movimento desnecessário. No maximo o que vai acontecer é termos pessoas mais narigudinhas entre agente xD [sem ofensas, não sou nada racista].

Paztejamos

2 comentários:

  1. Olá amigo,

    Muçulmano não é raça é religião. A "raça" se assim deseja chamar é ÁRABE.

    Os ÁRABES realmente podem ter diferentes religiões, inclusive existiam muitas antes dos Países se tornarem Islâmicos (Maometanos ou Muçulmanos). Logo depois da "conversão" dos países, todos os de outras religiões foram mortos (assim como Maomé fez há alguns séculos atrás).

    Claro, um muçulmano pode se converter ao Cristianismo! Óbvio que sim! E acontece!

    No entanto, nesta hora, ele passa a sofrer uma perseguição tamanha da família e dos vizinhos que só não morre pela proteção de Deus.

    Te convido a dar uma lida em algumas matérias que publiquei sobre esta religião que tanto cresce e você entenderá o real problema.

    http://igrejinha.org.br/blog/?cat=33

    em Cristo,

    André Ricardo

    ResponderExcluir
  2. Tudo bem q a raça seja "arabe".
    O ponto é que fazem uma confusão com os arabes e os islamicos (se assim deseja ler).

    Quem nasce em familia islamica nao necessariamente é islamico, assim como quem nasce em familia cristã não necessariamente é cristão.

    A proliferação de pessoas com religião islamica é um fenomeno histórico que aconteceu na europa cristã da idade média: pessoas pobres tem mais filhos.

    Garanto que se a qualidade de vida dessa gente aumentar a taxa de fertilidade diminui. Isso é beeeem comum.

    Ser praticante de uma religião é uma coisa bem "admiravel". Eu duvido muito que o islamismo pregue violencia, guerra e destruição. Mas os paises do oriente médio pregam a destruição da "sociedade ocidental judaico-cristã" baseado em religião porque é uma disculpa que cola pros interesses deles. Acho que é parecido com o que alguns pastores evangélicos fazem quando "decretam" que "o Brasil é de Jesus" ou coisa parecida.

    Religião não se impõe. Enquanto for assim, o cristianismo ainda vai ter MUUUUUUUUUUITAS conversões, independente de perseguição. Isso porque o diferencial do cristianismo é exatamente isso: é por amor, não por obrigação.

    No dia que alguma religião começar a crescer independente de taxa de fecundidade ou expansão populacional de alguma raça, aí sim podemos dizer que é o fim.

    Paztejamos =D

    ResponderExcluir

Dá um apoio moral pro blogueiro aqui.
Comenta aí ó: