Pesquisa neste blog =D

30.4.10

Nao quero ser adulto

Não quero ser adulto. Não quero desvencilhar-me da mágica dos desenhos, das pinturas, das cores, dos videogames. Não quero deixar para trás os contornos de um mundo delirante e ingênuo, o qual inspira sem igual à poesia e às belas-artes.

Não quero ser adulto. Não quero viver num mundo pétreo, sem vida. Não quero olhar altivo para as torres de marfim, aspirando nelas chegar, enquanto piso naqueles que estão no chão, vencidos pela impiedosa corrida do dia-a-dia.

Não quero ser adulto. Recuso-me a divertir-me com telenovelas, informar-me com telejornais, bisbilhotar às televidas alheias e chamar de Evangelho ao que dizem os televangelhistas.

Não quero ser adulto. Não quero trocar Hinata Hyuuga pela Helena do Leblon, Kenshin Himura pelo José Mayer, os livros pelas publicações carentes da “Veja” e “Isto É”.

Não quero ser adulto. Não quero caçoar dos ensinos de meus pais, não quero criar uma apoikia, um lar distante, para bem longe de minha família. Não quero que a comuna familiar que fundar ao lado da guria dos meus sonhos seja desligada do seio da família maior.

Não quero ser adulto. Não quero não ter tempo para nada. Não quero viver correndo. Não quero ser o coelho apressado que, inconcientemente, conduziu Alice ao País das Maravilhas. Prefiro, antes, ser o Chapeleiro Louco.

Não quero ser adulto. Não quero achar normal a etiqueta escravizante da sociedade. Não quero vestir-me da normalidade e da conivência. Não quero fingir alegria quando estar triste.

Não quero ser adulto. Não quero perder meus amigos e ter colegas de trabalho. Não quero deixar minhas ingênuas idéias em nome dos sistemas politicamente corretos. Não quero aceitar as cercas cultuadas do pensamento e estranhar irremediavelmente àqueles que porventura estiverem fora delas.

Não quero ser adulto. Não quero deixar ao Cristo que conheci na infância, nos ensinos de meus pais e na Bíblia, que ensinou que o Reino dos Céus era das crianças, e aceitar ao “Cristo” da benção, da vitória, que da área do púlpito concede benefícios aos que chorarem e gritarem mais.

Não quero ser adulto.

2 comentários:

  1. você falou tudo o que eu queria dizer. eu não quero ser adulto =\

    ResponderExcluir

Dá um apoio moral pro blogueiro aqui.
Comenta aí ó: