Pesquisa neste blog =D

9.5.10

Perspectivas 5

Quando a nova liderança "tomou posse" - não gosto dessa expressão, mas entenda como "começou a liderar" - a tia Isabel (os dois lideres da mocidade são a tia Isabel e o Nemias, que rege o coral da mocidade) fez uma caixinha onde disse que todos da igreja poderiam dar idéias e sugerir o que fariam caso fossem os lideres.

Esse ultimo sabado ela leu os 'bilhetinhos' colocados na caixinha. Gostei da participação da mocidade em relação as idéias - algumas bem trabalhosas - porque, apesar de haverem poucas sugestões, a grande maioria delas se voltava ao evangelismo.

A mocidade anda mais 'predisposta' a trabalhar. Eu vejo pelo tamanho do coral e pelas reuniões de oração noturna que pelo visto anda acontcendo durante as madrugadas entre sabado e domingo. Infelizmente posso ver apenas a sede, onde congrego, mas acho que com a crescente integração entre nossas congregações está surtindo um efeito positivo.

Nessa ceia de março - onde as lideranças foram rearranjadas - também se instituiu um grupo de 'eventos' pra fazer trabalhos como peças de teatro e coisas do genero. Hoje esse pessoal apresentou uma peça, com música e etc, bem legal e bonita e eu fiquei pensando "acho que poderiamos fazer isso nas escolas ou em algum outro lugar público".

Desde sábado passado comecei a dar aulas de música na escola da igreja. Estou gostando e espero que os alunos também. Segundo os irmãos que dão aula também os alunos me ouviram e me respeitaram como não estão acostumados a fazer =P fiquei surpreso, mas gostei.

Comentei com o Alex sobre a possibilidade de agente rearranjar a escola de música fora da igreja e ele disse que é uma boa idéia, mas tem que ter 'coragem' - coisa que ele ainda não teve pra fazer (e que, no lugar dele, é bem compreensivel, tendo em vista ter que contar com a "boa vontade" das pessoas pra fazer um trabalho). Ele falou que agente tem que ter uma estrutura boa porque se sair da igreja vai ser mais cobrado. Eu concordo, e disse que é uma coisa que agente tem que pensar bem mas que dá pra fazer.

Acho que o método mais 'pé no chão' de botar tudo que eu já falei em prática é comecar assim, aos poucos. Esse ano eu posso pegar junto na escola de música e sugerir coisas pro Alex sobre como agente pode fazer pra mudar a escola da igreja de forma a ficar bem "firme" quando sair dali.

Quanto a mocidade - que eu citei no começo -, acho que temos muito a aproveitar. Algumas das idéias que foram citadas eram bem simples de aplicar e continham um espírito muito nobre, como por exemplo, fazer grupos para visitar os asilos da cidade ou os abrigos infantis. Talvez o tipo de trabalho teatral apresentado no culto de hoje - que envolvia na grande maioria crianças, mas que também teve a participação de jovens e adultos - possa ser reproduzido de maneira a trazer alguns momentos de alegria pra velhinhos que ficaram esquecidos por familiares, ou pra crianças orfãs.

Enfim... como nos posts anteriores, são só idéias e perspectivas. Mas são boas (tanto as idéias quanto as perspectivas). Muito do que eu digo aqui está fora do alcance de minha mão sozinha. Mas a minha visão romantica de mundo me faz acreditar que podemos ter um mundo melhor - ou pelo menos uma cidade melhor.

Minha oração ultimamente se restringe a pedir a Deus que nos faça melhores. Somos egoístas e acomodados - eu incluso. Temos muito a fazer pelo próximo, mas trabalhamos apenas por nós. Meu pensamento sobre tudo isso me remete a "missões": eu fico pensando, como disse Mark Driscoll em algum vídeo dele que vi na internet, "se eu fosse missionário e viesse de outro país evangelizar o Brasil, o que eu faria". E, palavras de Bono Vox que eu li no blog do Felipe há alguns dias atras, "Para mim, a fé em Jesus Cristo que não está envolvida com justiça social - que não está envolvida com o pobre - não é nada.".

Muita gente pensa que é muito imperfeito pra fazer isso ou aquilo, que não teria condições porque tem esse ou aquele defeito. Tenho aprendido pela minha própria experiência que "errar é humano"; que muitos na obra do Senhor pecam, mas apesar disso não deixam de tentar; que até o mais exemplar tem defeitos e que esperar a perfeição pra fazer alguma coisa é um erro. Me lembra a passagem dos talentos: a ninguém é dado fazer mais que a própria capacidade mas: 1-com a prática aumentamos nossa capacidade; 2-não fazer nada é mal visto aos olhos do Senhor.

Por último fica a frase que eu li no orkut de uma guria que visitou meu orkut por acaso e eu olhei nos visitantes recentes: "Ninguém comete erro maior do que não fazer nada porque só pode fazer um pouco."(Edmund Burke)


Paztejamos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dá um apoio moral pro blogueiro aqui.
Comenta aí ó: