Pesquisa neste blog =D

6.6.10

O Que Eu Penso Sobre Casamento

Hoje ao meio dia discuti com minha vó (em tom amistoso, mas mesmo assim discordante) sobre casamento.

Como com idosos (principalmente quando familiares) agente não pode expor todo o ponto de vista, já que pode ofender ou acabar deixando 'de mal', prefiri deixar esse assunto de lado depois de algum tempo.

Mas como eu não fujo das polemicas e tento "pensar" sempre sobre os pontos que criam confusão, resolvi postar aqui sobre o que penso sobre casamento.

1º. Casamento não é um ritual "místico" que une um casal magicamente a partir daquela cerimônia;

Históricamente a tradição cristã trata o casamento como um ritual onde o noivo veste um traje de gala e a noite veste um véu e um vestido longo. Nem sempre foi assim. Basta olhar para o casamento judaico e perceber que muita coisa mudou com o tempo. Além disso, basta procurar um pouco na Bíblia pra se dar conta que não existe referencia nenhuma a esse tipo de coisa.

2º. Casamento não precisa de nenhuma presença específica ou benção específica ou frescura específica;

Assim como é frescura discutir se Santa Ceia deve ser com vinho ou suco de uva, é frescura discutir se os pais abençõam o casamento. Esses são assuntos que os casantes devem levar em conta antes de casar, é problema de quem casa. Eu, por exemplo, não tenho um bom convívio com meu pai: faz pelo menos um ano que eu não vou na casa dele. Não porque eu não queira, ou não vá com a cara dele, mas, como eu fui criado só com minha mãe e ele foi muito pouco presente, não dou grande importancia pra existência dele (e nem ele dá grande importancia pra minha existencia).

Outra questão: tem muito pastor purista e fresco que não quer casar crente que engravida antes do casamento na igreja, por exemplo. Tipo, acho isso uma baita hipocrisia. Grávida não pode casar, mas quem transa antes e não engravida pode - vai saber quem se guardou e quem não se guardou. Além disso, se não transou, outros pecados tem, vai me dizer que um pecado vale e outro não. Essa é uma questão muito furada.

3º. O sentido específico do casamento está na união estável de um casal e na vontade comum de construir uma vida juntos;

Casamento não é "igreja, véu, pastor, 'até-que-a-morte-os-separe', festa, lua-de-mel, etc". Casamento está mais para "vida-juntos, amor-mútuo, filhos, casa própria, união, aprender-a-dividir, etc". Nesse aspecto, há um ano e um dia eu comecei a namorar a minha namorada e a cada dia me sinto cada vez mais casado com ela, abrindo mão de alguns dos meus desejos pra satisfazer a ela, entendendo como ela pensa, fazendo o que ela gosta ou o que ela precisa, aprendendo com ela, ensinando ela, vendo ela abrir mão da vontade dela pra fazer a minha, vendo ela me entender... enfim, como diz em Genesis:
2.24   Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.
Esse fluxo deve se encaminhar para o que o entendimento popular chama de "casamento", a partir do momento que começarmos a viver juntos. Mas eu me sinto a cada dia mais casado, independente de ainda não ter cumprido o ritual ainda.

4º. Cerimônias de casamento são completamente alteráveis exatamente porque são completamente desnecessárias.

Caso eu tivesse emprego estável, casa própria e remuneração razoável, considero que já estaria em condições suficientes pra morar sozinho junto com a Priscilla. Mas isso poderia acontecer independente de 'rituais de união'. A partir do momento que estivermos vivendo uma vida juntos estamos "casados aos olhos de Deus".

Além disso, não existe 'configuração ideal' para um ritual de união, simplesmente porque ele é acessórico. Eu por exemplo, quero casar na praia (idéia do Benhur - acho o máximo =D) porque assim o formalismo fica bem menos sufocante. Mas é muito mais uma cerimônia pra satisfação estritamente "religiosa" (que cumpre os designios da convenção ritualistica de cada denominação) do que algo que delimita até onde nosso relacionamento foi - ora só o casal (e Deus, evidentemente) sabe até onde vai sua 'intimidade' (e esse comentário não está relacionado estritamente a sexo).

Enfim.

Esse post não tem por intenção acarretar alguma implicação implícita que desrelacione sexo a casamento. Sexo antes do casamento é tido por pecado por toda a tradição cristã e eu não tenho a intenção de 'desapecadar' esse comportamento. Mas se a discussão do post leva até esse assunto, acabo por ter que me manifestar sobre a minha opinião sobre o assunto - e que fique claro que é a minha opinião e não um dogma ou a opinião estrita de toda a minha comunidade.

Sexo é pecado:
- se a consciência condena;
- se praticado imoralmente;

Minha consciência me condena. Logo eu não pratico. Minha consciência diz que isso é algo que, se praticado sem cuidado, pode levar a consequências problemáticas - como ter filhos, por exemplo [algo que um estudante que não tem onde cair morto como eu NÃO PRECISA COM CERTEZA!].

Apesar disso, eu considero que um casal que tem um relacionamento razoávelmente estável (não vive brigando, se entende bem e tem uma perspectiva de vida que encaminha um futuro juntos) há algum tempo (tempo que só o casal conseguiria determinar), com uma intimidade construída aos poucos, com respeito (e não na atucanação), não está praticando nada imoral ao fazer sexo.

As pessoas sempre colocaram o sexo como algo para 'só depois do casamento' exatamente porque entendem o casamento como uma cerimônia religiosa com data marcada para acontecer. Mas se tu entende o casamento como algo que se constrói a cada dia, não faz sentido falar em 'sexo depois do casamento', só em 'sexo ao longo da construção de um casamento'.

Além disso é muito necessário definir o que é sexo. Tem crentes que acham que sexo é colocar o genital masculino no genital feminino até que os dois estejam satisfeitos. Mas com isso esquecem que existem 69 variações, digamos assim :P Dessa forma, sexo oral, masturbação mútua, sexo anal [ e sei lá o que mais ] não são sexo - o que é uma bizarrice.

Concluindo... não consigo ver as coisas de maneira diferente. Se alguém tem um bom argumento bíblico pra me mostrar e tentar me convencer, ou se alguém tem algum bom comentário pra fazer, por favor se manifeste. Mas o que não consigo é ficar a mercê do conservadorismo puritano ritualístico impensado da igreja. Ficar sem pensar sobre o que me impõem como doutrina é a unica coisa que eu me nego a fazer.

Paztejamos

(Felipe, se manifesta sobre o assunto, eu não sei se tu concorda comigo xD)

5 comentários:

  1. Sobrou pra mim...sinto que não tenho tanto o que dizer, visto a minha condição de "monge protestante". Mas vou tentar:

    Eu concordo com o que tu disse sobre a "origem" do casamento. De fato, ele nasce do compromisso estabelecido entre as partes, e não de um ritual místico. "E serão dois uma só carne", como tu citou.

    Mas vou ter de discordar sobre a cerimônia ou ritual de casamento. Não penso que seja algo descartável; penso que os rituais da comunidade a que o casal está inserido devem ser considerados para a sua união matrimonial. Não achas tu que sem eles - os rituais - o casamento ficaria algo metafísico demais?

    Paz tejamos.

    ResponderExcluir
  2. Gostei do post...
    concordo e discordo em algumas coisas...
    acho q isso é +um costume da igreja, pois como tu disse não temos referência biblica sobre isso..
    Ah, também ja pensei em casar na praia e não convidar ninguém..(pois acho um absurdo bancar festa pra um monte de gente,a maioria tu convida só por conveniencia..pra não ficar magoado q não foi convidado..)

    E aee???me responde, como tu pretende te casar de verdade? De modo tradicional ou alternativo??

    bjooo
    Taise

    ResponderExcluir
  3. Resposta ao Felipe:

    Tu disse: "penso que os rituais da comunidade a que o casal está inserido devem ser considerados para a sua união matrimonial."

    E não está em desacordo com o que eu disse. O que eu quis dizer é que esse 'ritual' é aleatório e depende da comunidade; portanto, se existir uma comunidade que não faça um "ritual de união" para casais, essa comunidade permanece inserida no cristianismo.

    Não sou contra a realização de rituais, sou só contra a mistificação deles, como se eles fossem algo necessário e preciso para a união de um casal. Tanto que eu disse que quero casar na praia :P (já prevendo a necessidade de fazer uma cerimonia de casamento pra satisfazer a 'religiosidade' do meu grupo).

    ____________________________
    Resposta a Taise:

    É, mas costumes não são ruins. Temos vários costumes legais (tipo orar antes das refeições ou antes de sair de casa e saudar o irmão com a paz do Senhor)... o problema é quando o costume assume a posição de doutrina, dogma, regra - como é o caso.

    Ah, e casar na praia é uma ótima idéia =D imagina, ae não precisa botar aquelas roupas cheias de frufru :D E é boa esse negocio de não fazer festa - quem tem que fazer festa são os casandos ora xD UHEUAHEUHAUAUHAE

    Eu não pensei direito em como vai ser tudo porque não faço idéia da realidade em que agente vai estar quando eu casar. Só sei que hoje seria bem utópico pensar em casamento :P Quando eu tiver casa própria e emprego estável eu começo a pensar nisso xD

    paztejamos
    t+

    ResponderExcluir
  4. Assumir sua mulher perante a lei dos homens é desnecessário?

    ResponderExcluir
  5. se esse é teu objetivo sugiro casar só no cartório. Afinal, essa sim é a LEI DOS HOMENS :P

    ResponderExcluir

Dá um apoio moral pro blogueiro aqui.
Comenta aí ó: