Pesquisa neste blog =D

23.9.10

Apócrifo: Carta de Pseudo-Simão aos dalém de Tarsis

Saudação

Pseudo-Simão, apóstolo por parte daquele que foi,que é e que virá, aos jovens irmãos, conhecidos pelo nome "evangélicos", das partes longínquas dalém de Tarsis, e provavelmente também em tempos longínquos: graça e paz vos sejam multiplicadas.


A motivação da carta; A visão

Estando eu aqui, em nossa sinagoga, deliciando-me com meus rolos da Lei e dos Profetas, fui acometido de uma visão, e foi me dito que esta se dirigia a tempos futuros e a terras longínquas, dalém de Tarsis (nunca pensei que havia lugar depois de Társis. A gente pensava que aí era o fim do mundo, já que os navios do rei Salomão foram só até aí, mas fica pra depois.). A visão consistia de vocês, irmãos nossos, em três situações. Aterrorizei-me com o que vi, e então resolvi escrever-vos esta epístola.

A primeira visão

A primeira visão que tive consistiu de um grupo de jovens, em sua reunião de culto. Não vou comentar as roupas e aparelhos estranhos que vi – já que pertencem a outra época e nação – porém estranhei o que faziam: com mãos levantadas, choravam descontroladamente. O principal deles, que parecia dirigir os serviços (na verdade, nem sei se havia isso, dada a falta de ordem) discursava-lhes, dizendo coisas como “ Quem sabe você tem um problema, e veio aqui resolvê-lo. Não pare de buscar e de clamar! Não saia igual a que você entrou!” “Receba a benção que você está buscando”!

Meus irmãos, acaso sois vocês que estão fazendo isso? Não os reconheci como seguidores de nosso Senhor, a não ser pelo fato de gritarem pelo seu santo nome diversas vezes, tal como o mágico pela sua palavra mágica, a fim de desempenhar seu encantamento. Ou não sabeis que assim fazem os pagãos? Que pensam que de tanto clamarem a seus deuses, de tanto usarem de suas vãs repetições, seriam ouvidos?

Amados, será que se esqueceram das palavras de nosso Senhor?

Pois vocês estão lá para o exercício da piedade e dos dons, e não para receberem coisas e benefícios. Se o quiserem, orem em vosso quarto em secreto, que vosso Pai vos recompensará em público.
E quanto a ordem, Paulo escreveu algo sobre isso em sua carta aos coríntios. Acho que fariam bem se a lessem.


A segunda visão

A segunda visão que tive foi de um grupo de músicos, e de um grupo de pessoas semelhantes os cercando, chorando e gritando o nome deles. Não comentarei os instrumentos e a aparência deles – coisas de uma nação e de um tempo longínquo – entretanto, não pude deixar-me de perturbar pela maneira que os vi, a festejar aqueles músicos.

Meus irmãos, acaso sois vocês que estão fazendo isso? Está o nosso Senhor dividido? Acaso foram estes músicos crucificados por vocês? Ou sois batizados nos nomes desses músicos? Eu sei que Paulo disse algo semelhante, mas vou precisar dizer isso, já que essa geração parece não levar a sérios seus escritos.

Amados, será que se esqueceram das palavras de nosso Senhor?

Não podeis servir a dois senhores. E isso não vale só para o Dinheiro, como também para esses músicos, que não sei a razão, encantam a vocês tanto. Percebi que alguns de vocês os defendiam como legítimos portadores da verdade de nosso Senhor, mas os advirto de uma coisa (acho que Paulo falou também , mas ...): se mesmo um anjo celestial vos trazer uma Boa Nova diferente dessa que vocês receberam, seja maldição! E eis que não vi muita coisa da Boa Nova nesses músicos por vocês reverenciados. O mesmo vale para os vossos mestres, caso se enquadrarem aqui.

A terceira visão

A terceira visão que tive foi, penso, a mais aterradora: vi pequenos grupos de jovens, bem vestidos (segundo, claro, o costume de vossa nação e de vosso tempo), a conversarem de futilidades, e não dando atenção, ou mesmo evitando, a outros irmãos, que não se pareciam com eles, por serem mais simples ou menos famosos. E vi mais: vi os mesmos dessas facções gritando e chorando em vossa estranha reunião, e sendo louvados como bons guardadores na fé.

Sois alguns de vocês que fazem isso? Tiago, o principal da comunidade de Jerusalém, falou dum caso semelhante entre nós, em que recebiam o rico para a refeição, e ao pobre deixava-lhe de qualquer jeito. Cuidado, porque isso é acepção de pessoas! E saibais que o Eterno escolheu aos desprezados desse mundo para o seu Reino, e vocês estão a eles se opondo!

Amados, será que se esqueceram das palavras de nosso Senhor?

Bem aventurados os pobres de espírito, por que deles é o Reino dos Céus. E não de vós, que sabem cantar essas músicas estranhas e que gostam de freqüentar festas e grandes eventos, e anunciar vossa presença a todos os do Orkut (deve ser um desses decendentes de Ismael).


Exortação e saudação finais


Amados, não sejais conhecidos de todos por vossas reuniões, ou por vossos rituais exteriores, ou por vossas posses. Antes, sejais reconhecidos pelo exercício do amor e da justiça. Não sejais como os sete filhos de Ceva, que julgaram ser o nome de nosso Senhor um amuleto para seus fins pessoais. Antes, sejais como nós (Paulo, João e Tiago estão incluídos), que seguimos ao Messias.

Graça e Paz a todos vocês. Amém.

2 comentários:

  1. Garanto que se fosse um pseudo-João não ia dar pra entender nada do texto porque ia ser cheio de figuras de linguagem :P

    Vo manda teu texto la no Genizah e ver se eles gostam, ta?

    ResponderExcluir

Dá um apoio moral pro blogueiro aqui.
Comenta aí ó: