Pesquisa neste blog =D

29.10.10

Correntes e Charutos

Semanas de provas a caminho. Por isso não quero mais postar. A partir de amanhã minha maratona de estudos começa e quero estar bem disposto. Não posso deixar que os outros contem comigo mais do que eu mesmo, portanto não participarei de coisas em que normalmente participo aos fins de semana (para horror e encomodo de alguns). Mas, por exceção, vou na aula de música amanhã de manhã.

Como esse post é o meu último até daqui há umas duas semanas (período de provas - juro que cumpro a promessa de não postar), resolvi postar dois posts que achei por aí, são vinculados e muito interessantes. No fim de tudo comento.

O primeiro achei no Caminho da Graça.

Alerta aos cristãos brasileiros: a loucura do neopentecostalismo anti-evangelho



A NIGÉRIA É AQUI...
Cláudio Vitoriano
28 de Outubro de 2010

As histórias e narrativas que acompanhei a não muito tempo atrás, me revelaram a triste realidade de uma ordem religiosa que massacra e escraviza aqueles que deveriam ser cuidados e amados pelo simples fato de serem crianças.


Sim, o Dossiê Nigéria - tão conhecido pelos do Caminho da Graça - trouxe a todos a evidência de que a loucura religiosa permite os atos mais cruéis e insanos que um ser humano é capaz de impor aos seus semelhantes (E não precisa ser "muçulmano" para isso...).

Como muitos, chorei, me revoltei, orei e procurei saber mais... Quanta tristeza e dor! Como era possível em nome de uma absurda autoridade divina, estripar e esfolar aqueles de deveriam receber toda a proteção do mundo?

Lembro-me da primeira vez que ouvi falar sobre o jovem nigeriano acorrentado numa grande igreja africana. Adailton nos falou no Caminho da Graça em São Paulo, numa noite difícil de esquecer...

Todos ouviram o triste relato acerca de um jovem que, acusado de ser possesso, fora acorrentado a uma pilastra e passava seus dias algemado aos pilares do templo esperando por uma libertação espiritual. 

Refletindo sobre tudo aquilo que nos era apresentado, ficava a terrível sensação de impotência e se aquilo tudo um dia poderia chegar até nós.

E chegou.

Hoje pela manhã ao abrir um jornal de grande circulação aqui em São Paulo, deparei-me com a foto de capa que me levou de volta ao continente africano. Dessa vez não era a Nigéria, agora era a Zona Sul de São Paulo.

Os mesmos personagens, as mesmas correntes, as mesmas paredes evangélicas.

O jovem Antônio, esquizofrênico, sem recursos e sem apoio das autoridades. Escravizado por suas doenças e pela manchete do jornal.

Sabedor de nossa péssima saúde pública e todas a mazelas políticas que tanto afligem os menos favorecidos, me perguntei por que acorrentado justamente a uma igreja, lugar de sua pretensa libertação?

A loucura só está começando...

Impossível não lembrar do sofrimento dos pequeninos da Nigéria.
Impossível não lembrar daquele jovem nigeriano.
Impossível não fazer nada ao ver o nome de Jesus justificando cadeias...

Que o Príncipe da Paz nos dê sabedoria e nos torne cada vez mais sensíveis ao sofrimento daqueles que hoje padecem na loucura, na maldade, na dor  e na insensatez religiosa que estão cada vez mais presentes às margens daquilo que chamamos de caminhada da vida.


Cláudio Vitoriano
Caminho da Graça | Estação ABC Paulista
ee 
O segundo no Pavablog.

20 Maneiras de fumar charutos para a glória de Deus

Wilson Jared
 20 Maneiras de fumar charutos para a glória de Deus
Em 1874, a revista Christian World relatou uma curiosa disputa de idéias entre o pregador itinerante Dwight Pentecost e o pastor Charles Spurgeon,  ocorrida quando ambos estavam em um culto. Pentecost incluiu em seu sermão um relato apaixonado sobre como obedeceu ao chamado de Deus para deixar de fumar, algo que parecia atrapalhar sua busca de santidade. Muitos viram neste testemunho uma pacífica provocação a Spurgeon, conhecido por gostar de fumar charutos.

Quando Spurgeon chegou até o púlpito, disse:

Bem, caros amigos, vocês sabem que alguns homens podem fazer para a glória de Deus o que para outros homens seria pecado. Apesar do que nos relatou o irmão Pentecost, eu pretendo fumar um bom charuto para a glória de Deus antes de ir para a cama hoje à noite. Se alguém puder me mostrar na Bíblia o mandamento: “Não fumarás”, estou pronto a obedecê-lo, mas ainda não o encontrei. Conheço apenas dez mandamentos, e faço o possível para guardá-los. Não tenho vontade  alguma  de transformá-los em onze ou doze.

O fato é que eu tenho falado com vocês sobre pecados reais e para não darem ouvidos a meros sofismas e escrúpulos. Ao mesmo tempo, sei que aquilo que um homem acredita ser pecado se torna pecado para ele, e deve então parar de cometê-lo. “Tudo o que não provém da fé é pecado” [Rm 14:23]. Esse é o ponto que o meu irmão Pentecost vem reforçar.

Ora, um homem pode pensar que é pecado ter suas botas pintadas de preto. Bem, então ele não deve insistir e ficar com elas brancas. Gostaria de dizer que não tenho vergonha de nada do que faço. Não me sinto envergonhado por fumar, portanto, quero dizer que fumo para a glória de Deus.

Creio que quase tudo pode ser feito para a glória de Deus, contanto que não façamos disso um ídolo e o fazemos com admiração e gratidão a Deus pelos bons dons que nos concede.

Sendo um fumante ocasional de charutos por 14 anos (comecei antes de ser uma moda e continuei depois de sair de moda), tenho algumas ideias sobre como podemos usar charutos para a glória de Deus. Aqui estão 20 delas:

1. Fume de maneira lenta e reflexiva, como parte da disciplina de contemplação da Palavra de Deus.

2. A maioria dos fumantes olha muito para seus charutos  enquanto está fumando, seguindo com o olhar as veias das folhas e admirando o crepitar dentro do “embrulho”. Um bom charuto é uma obra de arte. Isso me deixa feliz e me faz agradecer a Deus por sua criação.

3. Fume ao ar livre e agradeça a Deus por ter criado o céu, as nuvens, a grama e as árvores.

4. Meu professor de religião da faculdade, o saudoso M.B. Jackson, costumava sair da sala de aula durante as provas. Com o cachimbo na mão, dizia: “Se precisarem de mim, estarei na escada, enviando ofertas queimadas a Deus”. Essa é uma boa perspectiva. Quem fuma charutos gosta de ver a fumaça subir. Pense nisso como um holocausto de ação de graças ao Criador de todas as coisas boas.

5. A ponta de um charuto queimando é, ao mesmo tempo, sedutora e perigosa. O mesmo acontece com o pecado que leva ao inferno. Essa é uma boa ilustração para ser usada pelos pregadores que gostam de fumar.

6. O armazenamento adequado dos bons charutos requer acompanhamento e cuidado (com a temperatura, a umidade etc). Preocupar-se  com os outros e desejar acompanhá-los são virtudes em falta na Igreja moderna. Podemos agradecer a Deus pois cuidar de charutos nos ajuda a sermos curados da “doença da pressa”.

7. Bom tabaco é cultivado, tratado e enrolado através do trabalho duro de homens e mulheres em algumas partes do mundo que a maioria de nós jamais irá visitar. Toda vez que fumo um charuto penso nas mãos calejadas, incansáveis e talentosas  que fizeram meu charuto. Ore por essas pessoas, para que Deus conceda-lhes uma vida longa, plena de saúde e felicidade; e agradeça a Deus por eles e seus dons.

8. Dê graças a Deus por ter criado lugares neste mundo especificamente para produzir o tabaco perfeito. Locais onde tudo colabora para isso: o clima, o solo e os agricultores. Cristãos não acreditam em coincidências.

9. Não inale a fumaça do charuto para dentro de seus pulmões.

10. As cinzas são um ótimo adubo. Depois de fumar, coloque-as sobre a grama ou em canteiros de flores. Assim, você será um bom mordomo da criação.

11. Forme um grupo de estudo bíblico ou grupo de discussão teológica em uma lugar reservado só para fumantes.

12. Frequente lugares onde pessoas que você não conhece fumam charutos. Use cada oportunidade para construir pontes e gerar diálogos que lhe permitam ser testemunha do evangelho.

13. Fume com bons amigos cristãos, rindo muito e falando sobre coisas que são importantes (ou não), e agradeça a Deus pela amizade. Faço isso regularmente e posso dizer que uma das coisas que mais conforta minha alma é  fumar charutos até altas horas da noite enquanto aprecio a companhia e a amizade de bons cristãos.

14. Dê bons charutos – bons mesmo! – de presente em outras ocasiões, além do nascimento de uma criança.

15. Admire-se que, um dia, alguém descobriu como transformar a planta do fumo em charutos (ou cachimbo) e veja que a criatividade humana é uma consequência de sermos feitos à imagem de Deus.

16. Para os fumantes casados: agradeça a Deus por ter uma mulher incrível que deixa você fumar. (Isso é, se ela for uma mulher incrível que o deixa fumar. Se não for o caso, dê graças a Deus por ter uma esposa que se preocupa com sua saúde, sua reputação, seu bom hálito e com todas as coisas que ela não aprova.)

17. Enquanto você fuma, pense em todos os fumantes de charuto famosos que conhece – comediantes, escritores, atores, pintores, poetas e cineastas – e dê graças a Deus por sua arte (e pela arte em geral).

18. Escolha uma passagem em sua Bíblia. Acenda  seu charuto e comece a ler. Não pare até que tenha fumado o charuto até o fim. É melhor que usar ampulheta ou cronômetro.

19. Leve dois charutos para a entrada de sua casa. Acenda um. Aguarde o vizinho sair de casa e então ofereça-lhe o outro.

20. Se você compra a granel, use as caixas vazias para colocar presentes ou comida e dê a crianças carentes.


O que eu achei interessante nesses dois posts (que eu li consecutivamente) foi o contraste entre um e outro. Por um lado uma loucura de evangelho que nada tem a ver com a Bíblia e que usa Deus como instrumento de aprisionamento das pessoas. Acho interessante esse primeiro post porque esse é o tipo de extremo que começa com essa história de "dar liberdade ao Espírito", que mais me parece uma forma de aprisionar o Espírito a psicodelia e transe - mas esse é assunto pra outro post.

E o outro é um ponto que muito pregador crente assembleiano de sapatinho de fogo esquece na hora de dos pulinhos quando puxa a cartilha de regras de "não pode": um dos seus maiores ídolos era fumante.

Ah como é triste ver gente aprisionada a um evangelho de regras religiosas xiitas e contradições bizarras. E como é bom viver agradecendo a Deus pelo alimento, ar, vida, interação social, conhecimento, sabedoria e toda a Criação sem deixar de desfrutar de um dedo de tudo que Deus fez pra nós.

Eu gosto da frase "conhecereis a Verdade e Ela vos libertará" num sentido BEM AMPLO: sendo a Verdade significado de estar fora dessas cadeias de regras e podendo viver na plenitude, livre e solto, sendo um testemunho pra Deus mesmo.

Que seja, enfim.
Paztejamos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dá um apoio moral pro blogueiro aqui.
Comenta aí ó: