Pesquisa neste blog =D

31.12.10

Adeeeus ano velho e etc

 aproveitem minha imagem de ano novo 100% feita por mim para o desfrute de uma obra de arte legítirma pra voces xD

Tão tá =D
Acabando 2010. Sinceramente, pra mim não muda grandes coisas. Quer dizer, todo mundo faz um drama grande sobre isso, como se fosse uma época de pessoas mais bondosas e bla bla bla. Queria que todo mundo fosse bondoso o tempo todo.

Ou alias, queria que todo mundo fosse como é o tempo todo, e não me viesse com essa hipocrisia de 'boas festas'. A TV canta aquelas músicas "de um novo dia de um novo tempo que começou", mas amanhã, quando começar 2011 os políticos vão continuar ganhando um absurdo, os pobres vão continuar pobres, as coisas vão continuar acontecendo como sempre aconteceram. Cadê o "novo tempo"? ficou pros donos das lojas que faturaram 500% a mais com a venda de presentes de natal aproveitando que no fim do ano o pessoal ganha 13º (e 14º e 15º pra quem é político... mas esses também tem um "novo tempo" todos os dias ¬¬).

Só tem uma coisa que eu gosto nessa época: se tu é estudante vagabundo não trabalha. Se tu é um bolsista um pouco menos vagabundo, não vai trabalhar nessa semana de festas. Esse último vale também se tu é funcionário público pra maioria deles. E, se tu é um trabalhador nada vagabundo que rala 10h por dia, vai ter que ralar só 6h porque teu empregador viu a propaganda da "Vidaaaa é um grito de gol", se comoveu e resolveu dar essa "barbada" pros funcionários, sem contar a "cesta de natal", que na minha opinião deveria vir acompanhada com a "sexta de natal" - que aliás, esse ano é na sexta mesmo -, que antes era um amontoado de coisas gostosas mas que a cada ano foi diminuindo até virar num frango. Ah não, desculpem, é um peru :P

Agora me digam: qual a diferença entre o frango e o peru? sério, não tem. Alias, quem inventou essa de dar um frango (ou um perú) deveria ser visitado pelos fantasmas de natal, ou pelo menos ver o filme desses fantasmas, porque sério, uma familia come um frango em uma noite, principalmente se for essas famílias como a minha, que são graaaandes. Se o cara quiser mesmo fazer um agrado, livre-se do peru e arrume uns quilos de carne e um saco de carvão. Porque, Deus do céu, gaucho que é gaucho deve concordar comigo, troco qualquer peru e panetone por um churrasco bem assado e suculento.

Mas, e quem não tem isso? Alguns dos leitores (se é que há leitores) devem ter visto aquele vídeo do lixo, que está NESTE POST (clique aqui pra ver), onde aquilo que não servia de comida pros porcos ia servir de comida pros pobres. Pois é. Esses não tem natal, não tem cesta de natal, não tem nem peru e panetone, quem dirá um bom churrasco. E por isso que eu reforço meu comentário de que não há "novo tempo que começou", só há consumo, tripalium, hipocrisias e vendas.

E se um dia alguns desses empregadores, donos de lojas, ou gerentes de emissoras de TV que botam comerciais bonitos de atores levando videogames pra crianças pobres como se assim elas houvessem de ter uma infancia menos faminta - isso sem contar a probabilidade de elas terem a casa invadida e levarem todos os bens doados pelos supostos benfeitores -; se um dia essa gente houver de ser visitada por pelo menos um daqueles fantasmas de natal, então vai haver menos miséria nesse mundo.

Enquanto isso, aproveitemos a merda de fim de ano, porque pelo menos agente passa o dia com a familia, namorada e faz disso um dia como se tudo fosse eternamente bom. Fingimento, mas que se dane, é melhor comer tarde, assistir os fogos e passar o dia fazendo nada do que chegar tarde da função (trabalho ou estudo), tomar chimarrão, jantar e dormir pro dia seguinte fazer tudo igual..

Enfim, meu comentário é o seguinte. Só gostamos porque saimos da rotina. Minha conclusão sobre tudo isso.

Paztejamos

Um comentário:

  1. Adoro teu humor negro! E concordo com quase tudo. Aliás, queria acrescentar um ponto para a lista de hipocrisias de fim de ano: receber e-mails adocicados (para não dizer melecados!) daqueles só fizeram dificultar tua vida o ano todo. Como se diz em Portugal "Valha-me Deus!".
    Por outro lado, sabes o que acho realmente especial nesse período? (Sim, para além da vagabundiação que também aprecio) Gosto mesmo é da oportunidade que a gente tem de estar com as pessoas que gosta, todo mundo junto, falando ao mesmo tempo, aquela zona toda, e ao mesmo tempo se sentir super a vontade. Talvez quem esteja "em casa" não perceba isso, mas 7 anos longe dos pampas e 7 meses longe das palmeiras me fizeram valorizar demais "estar em casa" e tudo que isso significa.
    Jussara

    ResponderExcluir

Dá um apoio moral pro blogueiro aqui.
Comenta aí ó: