Pesquisa neste blog =D

20.12.10

Balanço das Duas Décadas


Pois bem. 20 anos. Duas décadas. Atingi o pico da vida. Posso tudo. Sou livre, tenho juízo, escolaridade, barba na cara e pelo no cú. Minha vida (e não a extensão da vida dos meus responsáveis) começa agora.

- Em primeiro lugar, continuo dependente. Há um mes tenho renda fixa - inferior a um salário mínimo - mas pelo menos posso comprar algumas coisas básicas, já que só estudo mesmo. Minha renda deriva de uma bolsa e, por causa disso, não posso chamar minha atividade remunerada de 'trabalho'. Chamo de extensão ao estudo. Bolsa mesmo. Estou sendo pago pra aprender, coisa que é muito boa. E isso ocupa muito pouco do meu tempo durante os estudos, graças a Deus.

Mas como já disse sou dependente. Não conseguiria me sustentar sozinho, casar, ou ter meus próprios bens (como casa, carro, essas coisas). Continuo pedindo dinheiro pra mãe pra pagar qualquer coisa. Minha bolsa só 'complementa' a renda.

- Segundo: não fiz nada que possa ser lembrado. Tenho um blog onde escrevo tudo que faço, gosto, penso, medito. Mas não disse nada que seja citado por alguém famoso, não formei opinião que mudou o mundo (nem ao menos a cidade), nem lutei por uma nobre causa. Dou aulas de música na igreja porque graças a Deus ao longo dessas duas décadas Ele permitiu que eu me envolvesse tanto com a música que ela acabou entrando em mim com naturalidade. Não fiz esforço pra aprender. O tempo me ajudou.

Além das aulas na igreja agora vou começar a dar aulas de música em uma escola, coisa que talvez no futuro possa preencher essa 'lacuna' da vida, apesar de eu não ter essa pretenção. Quero fazer uma coisa boa, nobre, que seja solidária e boa intrinsecamente (ninguém pode dizer que ensinar música a crianças é ruim). Tenho muitos planos e muito ambiciosos, mas não tenho conhecimento musical suficiente pra desenvolver grandes projetos. O que, generalisando, me leva ao terceiro ponto...

- Sou medíocre. Medíocre aqui é sinônimo de mediano. Sou "na média". Nunca fui excepcional em nada. Não tenho disposição nem vontade de ser. Gosto de fazer as coisas sem muito esforço, com graça, me divertindo ao fazer. Esse negócio de ficar grudado numa coisa tentando ser o melhor do mundo não é pra mim. Isso vale pros estudos (acabei de saber, hoje, de presente de aniversário, que rodei em física), pra música (como já disse), pra minha saúde (gosto de fazer alguns exercícios mas detesto ir na academia; gosto de comer saudavelmente mas não abro mão de uma pizza, um churrasco, uma coca-cola), pra tudo. Sou medíocre e gosto de ser medíocre. E, por ser medíocre posso dizer o que vem a seguir...

- Sou um faz tudo. Estou a disposição pro que der e vier. Por ser medíocre em tudo, posso "quebrar o galho" sempre que necessário. Se eu fosse bom em alguma coisa provavelmente teria que dispensar muito do meu tempo fazendo essa coisa, o que me tiraria o tempo pra fazer as outras muitas coisas que faço. Assim, se precisar chame o Jean. Faço até aquilo que não sei, meto a cara e saio fazendo. Porque melhor alguém fazer mais ou menos do que ninguém fazer. E como tem muita coisa que ninguém faz porque fica esperando alguém "especializado" fazer, posso dizer que...

- Gosto de inventar moda. Eis uma característica que não poderia não ser minha. O grupo de doação de sangue (que alias está dois meses parado porque estava lutando contra o semestre, mas que mes que vem eu volto =D), as aulas de música, a campanha do agasalho, e sempre uma coisa e outra (as vezes coisas que nem vingam), são exemplos de que eu to sempre inventando moda. E não é só num sentido social: gosto de inventar moda 'literalmente', quando me visto do meu jeito, tiro fotos mais feias (hoje mesmo minha namorada ficou braba comigo por causa da minha foto no twitter - @jeandbg ), falo coisas ofensivas ou retardadas, etc.

- Sou "familiar". Minha vida inteira é cercada de pessoas. Me importo com determinadas pessoas por vez (numa 'temporada' estou mais próximo de X do que de Y, depois mais de Z do que de X, e assim por diante), mas num sentido amplo, me importo com todos. Não desejo o mau a ninguém, perdoo qualquer coisa que me for afrontada (até porque sei que as vezes eu também deixo os outros encomodados com o que eu digo), e tenho todos, pelo menos a princípio, como amigos.

Além disso sou também dependente das pessoas que me cercam. Não posso ficar muito tempo sem voltar pra casa; me sinto encomodado de não ter o convívio que queria com determinado amigo (como a Juh, que eu to louco pra conversar mas, como estou meio 'grevista' de msn - apesar de mante-lo aberto sempre - não falo com ela... até porque o dia que falar quero passar uma tarde ou uma madrugada conversando sobre tudo e mais um pouco :P); gosto de almocar com a família, tomar chimarrão com a família, ver tv com a família; especialmente não posso ficar muitos dias sem ver, sem falar, sem tocar, sem beijar a Priscilla ( MORE TE AMO! =D ).

Bom. Esse sou eu. Se tu é um psicopata maníaco assassino de blogueiros, já sabe tudo sobre mim. Pode até me procurar no orkut, facebook, twitter xD UHEAHUEAUHEUAUHE

Paztejamos

3 comentários:

  1. Jean!!!!!! Devo confessar que li teu post só depois do teu comentário no meu blog. Hahaha. Pronto, somos ambos medíocres confessos! E na tua acepção, que está perfeita para o meu conceito!
    Jussara

    ResponderExcluir
  2. Ah, coloquei um link da palavra "mediocre" do meu post para o teu. Eu não teria uma definição melhor!.

    ResponderExcluir

Dá um apoio moral pro blogueiro aqui.
Comenta aí ó: