Pesquisa neste blog =D

16.2.11

Apóstolos, hoje?

A minha vida toda, sempre quando ouvia a palavra Apóstolo, me vinha a mente os doze discípulos de Cristo, mais Paulo de Tarso. Quando pequeno, me lembro dum maluco de capa que aparecia num comercial da TV, onde era anunciado como "O Apóstolo do Século XX".

Os tempos passaram e, quando me dei por conta, tinha apóstolo pra tudo que é lado!

Inicialmente, nas igrejas evangélicas brasileiras, não havia título maior que pastor. Na verdade, em quase toda igreja protestante do mundo era assim, salvo os raros casos das Igrejas Metodista, Anglicana e das Igrejas Luteranas européias.

Mas aí, por volta da década e 70, o título de bispo começou a aparecer nas igrejas evangélicas, aparentemente para "fazer frente" a Igreja Católica Romana, já que na época seus bispos faziam um trabalho reconhecível e popular.

Breve história do governo no Cristianismo

Até aí tudo bem. Os três títulos clássicos no Cristianismo são bispo, presbítero e diácono. Os dois primeiros são herança das sinagogas do Judaísmo, que eram governadas por um conselho de anciãos ("presbíterus" em grego), presididos por um "supervisor"(em grego "episcopus", abreviado para bispo).

Mas, com o tempo, num processo que já era evidente no século III depois de Cristo, o "bispo" se tornou uma autoridade quase monárquica, com poder absoluto sobre as igrejas e sua doutrina.

Com a Reforma, as igrejas protestantes, em geral, rejeitaram a idéia de bispo, preferindo um conselho de presbíteros para governo (modelo presbiteriano), ou deixar que os presbíteros das igrejas locais decidissem as coisas, sem uma autoridade maior (modelo congregacional). Os presbíteros passaram a ser chamados de "pastores".

As Assembléias de Deus e as Igrejas Batistas seguem o modelo congregacional.

Voltando para os eventos da década de 70, o objetivo da adoção do modelo episcopal (igrejas sob a autoridade unitaria do bispo) era obter uma maior representavidade das igrejas, já que um bispo seria um "pastor dos pastores".

Assim, em 1975, o pastor Roberto Mc Allister foi ordenado bispo primaz da Igreja Nova Vida, pentecostal.

O problema é que, em pouco tempo, o título de bispo se tornou mania nas igrejas evangélicas. Muitas denominações, sem qualquer conhecimento, o instituiam a torto e a direito. Passou a ser status. Temos aí os exemplos nada agradáveis da Ordem Babilônica Universal do Templo Fake.

Mas não parou por aí. Quando o pessoal "cansou" dos bispos, quiseram algo mais. Algo mais elevado. E aí "ressurgiram" os Apóstolos!

Miguel Ângelo, bispo primaz da Igreja Cristo Vive, foi o primeiro "apóstolo" brasileiro, sendo ordenado em 1991 pela Convensão Mundial de Apóstolos e Profetas às Nações, na California, EUA.

Agora, a nova mania é o título de apóstolo. O Movimento dos 12, que é o movimento de visão celular mais poderoso daqui, ordena dezenas de apóstolos por ano. Outras organizações que concedem o título são a Coalizão Internacional de Apóstolos (International Coalition of Apostles) e a Conselho Apostólico Brasileiro. Fora os líderes que se autoproclamam apóstolos por meio de "visões" e "revelações divinas".

Justificativas do título de Apóstolo

Geralmente, as igrejas adeptas do movimento apostólico estão associadas às teologias de batalha espiritual e confissão positiva. Usam muito o argumento que estaríamos nos últimos tempos, onde Deus estaria "restituindo" sua Igreja à condição original. Os 5 ministérios (apóstolo, profeta, evangelista, pastor e mestre) devem retornar.
As igrejas que não tiverem apóstolos estariam incompletas, e não fariam parte do "novo mover", ja que a autoridade espiritual do Apóstolo seria vital para combater as "fortalezas espirituais".

"Apóstolo", para os do movimento apostólico, seria o ministro traslocal, sob cuja autoridade ficariam várias igrejas, com seus bispos (quando tiverem) e pastores. Há casos da rejeição do bispo, ficando só apóstolos e pastores mesmo, creio que para evitar "catolicismo".

Meu parecer

A princípio, para mim uma denominação que reconheça a autoridade de apóstolo não deve ser levada a sério. Pode se ver que sempre se encontram imersas em teologias estapafúrdias, a julgar por suas defesas e argumentos sobre o título.

Os "apóstolos" geralmente são vistos como líderes quase intocáveis, possuidores da "unção" maior, e se encontram frequentemente "liberando palavras profeticas". Ja da pra se ter uma idéia aonde isso leva.

As hierarquias de hoje nas igrejas evangélicas, infelizmente, não parecem ser instrumentos de organização para as comunidades, e sim um sistema de auto-promoção e de status.

E, sinceramente, "apóstolo" significa "emissário". Em hebriaco, fica "shaliach". Eram aqueles que foram enviados por Cristo para anunciar as Boas Novas ao mundo.

Não eram super-ultra-mega-power-advanced-pastores, a andar de seus carrões e helicópetos, e a liberar "palavras proféticas" por aí. Eram, antes, mestres das Escrituras comprometidos com os ensinos de Jesus Cristo. Eram os emissários do Rabino da Galiléia, os quais fundaram comunidades em todo o mundo de então.

Não vejo essa tal autoridade "translocal" nos relatos bíblicos.Vejo-a somente a partir do século II. As igrejas originais pareciam ter governos mais locais, ouvindo aos apóstolos e a comunidade-mãe de Jerusalém como filhos a pais.

Mas há apóstolos hoje em dia sim. Nós costumamos chamar eles de missionários.

3 comentários:

  1. Parece que inventaram outro cargo maior ja neh?
    se eu nao me engano chamam de ansião, sei lá, algo assim... lembro de ter lido no genizah xD

    essa coisa de status é uma merda. Essa burocracia eclesiastica me dá ansia de vomito.

    as vzs eu queria arrumar um grupo pequeno de cristãos que eu pudesse levar a sério. Mas não dá pra abandonar a igreja assim, tem que continuar nessa triste luta por consciencia ¬¬

    ResponderExcluir
  2. Foi o "apostolo" Renê Terranova.Ele foi reconhecido como "patriarca" pelos seus seguidores. Mas não chega a ser um título maior. Tá mais para um "reconhecimento" do "ministério" do cara como "pai das nações"...

    Eu citei o Movimento dele. É o que mais ordena "apóstolos" hoje no Brasil.

    ResponderExcluir
  3. pssss
    esse Terra Nova já é uma viagem, agora que é "patriarca" então xD
    UEHAUHEAUHEAUHEUHA

    fala sério, é triste isso.

    ResponderExcluir

Dá um apoio moral pro blogueiro aqui.
Comenta aí ó: