Pesquisa neste blog =D

17.2.11

Biquini e o Grande bla bla bla ¬¬



Acabei de mandar o seguinte email pro grupo de emails da mocidade da minha igreja:

Tenho que conter as palavras aqui, tentarei ser suave, porque sei que há pessoas que não participam do mesmo meio e que, principalmente, não ME conhecem.

Estive 11 dias na praia agora. Assim como eu, outros jovens da nossa igreja também estiveram de férias e na praia (enfim, cada um vai para o lugar que melhor se satisfaz nas férias... local que geralmente converge para o litoral ou costa de alguma lagoa ou etc). Eramos, e somos, então - provavelmente até o fim do verão - pessoas de férias curtindo o tempo e dinheiro livre para se divertirem depois de um ano inteiro.

Depois de voltarmos, e até durante a estada fora, é natural tirarmos fotos com os amigos e, como todo mundo faz no século XXI com o advento da internet, posta-las nas redes sociais para que outros amigos vejam, comentem, perguntem, interajam. É muito provavel que algumas fotos sejam tiradas no local de banho e consequentemente com roupas de banho.

Pois bem. Existem determinados irmãos antigos que compreendem o cristianismo de uma maneira mais 'disciplinada' e não tolerariam saber que a gurizada esteve na praia de trajes de banho X ou Y. Aceito que temos que tolerar o "não pode" dos mais antigos - apesar de acessórico - e conter nossa amostra de "pode", pelo menos na frente daqueles.

Mas sou extremamente contra (e digo isso relativo a acontecimentos recenticíssimos) punições aos jovens - e digamos, menos presos aos "não pode" - que quiseram desfrutar de suas férias de maneira plena. Talvez um determinado aconselhamento, sugestão ou comentário resolva. Pessoas normais, de bem, úteis a obra e interessadas em fazer A ou B pelo próximo, pela igreja, e enfim por Deus, ficam privadas de seus serviços porque desfrutaram de algo em que não há problema algum. Isso me deixa realmente indignado!

Pois bem. Fica o meu comentário ardido, como sempre, para que me odeiem, ou concordem comigo.

Há algum tempo o pessoal da igreja já vinha discutindo se o uso do biquini é pecado ou não, coisa que pra mim não parece o 'cerne' da questão'. Chegamos a uma conclusão provisória (que pra mim é a conclusão inicial  e a única possível): o uso de biquini não é pecado, pecado é uma guria usar biquini pra se mostrar. Ou seja, o pecado está na cabeça e não na roupa.

Outro ponto em questão era se não deveríamos abandonar o uso para que irmãos mais antigos não se escandalizassem. A quase-conclusão também foi mais ou menos a que eu daria de resposta se alguém me perguntasse: pode usar, mas bom seria não usar na frente desses antigos, pra não criar conflito.

Entendem, a regra é 'viver numa boa', sem muita frescura de regra, mas sem más intenções também.

Eis que depois, então, nossos jovens deixaram seus computadores e suas discussões e foram pra praia aproveitar o litoral, tiraram suas fotos e botaram no orkut e facebook, local consagradamente jovem, apesar de ter os adeptos mais antigos. E no conjunto dos adeptos mais antigos, eis que haviam crentes, que pelo visto não gostaram de ver a mocidade exposta ao sol com trajes de banho na praia.



Agora ao que eu soube nossas jovens foram disciplinadas, simplesmente por aproveitarem o litoral, coisa que todo mundo faz. Nossa liderança, com isso, dá um passo atrás no sentido da coerência. Qual a próxima medida? Reproibir que as gurias cortem os cabelos?

Aí pergunto: será que os guris também ganharam disciplina? será que eles podem usar bermudas, sunga e andarem sem camisa e as gurias não podem botar biquini?

Outra questão é: será que alguém se importa em 'entrar em disciplina'? O que isso influi na vida do crente? Sei lá, na minha concepção das coisas sempre pareceu uma medida burocrata do tipo "fez X; punição: não estar em comunhão por 3 meses". Escrevo essas palavras sem medo de ser o próximo (até porque estou quase pedindo com isso). Assim como é preciso ter mente fraca a ponto de aceitar a ordem A ou B só porque o "pastor disse" (coisa que tem aos montes no evangelicalismo geral), também é preciso ter mente fraca pra se "autocondenar" por uma coisa que fez com sã consciencia de que estava bem feliz fazendo algo normal. Será que essa tal história de "disciplina" é eficaz então?

Pois que ficamos assim: o irmão A fez X escondido, não sofre nada; o irmão B fez Y abertamente, porque sabe que não tem problema, sofre 'punição administrativa' e não pode participar dos trabalhos que sempre fez (e que em alguns casos é até muito importante - se não essencial), se identifica, talvez tenha ajudado a iniciar, e luta como se fosse seu.

... enfim. Já disse meus contras sobre a disciplina antes e estou dizendo de novo.

Pronto, desabafei.

E não me venham os crentes me darem nojo aqui dizendo que eu isso eu aquilo que eu critico assim e assado. Se quiser comentar pode contrapor, dizer que não concorda, mas me venha com argumento e não com xexexe que Deus vai pesar a mão, ou eu sou mal educado, ou eu estou 'questionando a autoridade divina do pastor', ou isso ou aquilo. Porque para esses eu só posso dizer uma coisa: esse blog é meu, eu digo o que eu quiser, e eu penso antes de dizer. E por eu pensar é que eu digo essas coisas, e sugiriria que todos pensassem também.

Paztejamos

6 comentários:

  1. uma pena o eco aqui ser tão herege quanto o grito inicial.

    Queria que o pessoal que tem 'boa fama' (que não sai questionando tudo e eh considerado 'cabeçudo' como nós) ler esse texto e dizer o que pensa.

    Mas quando o essa gente le esse tipo de exclamação, tapa a boca de horror e finge que não leu, porque ler isso é pecado e pode 'se encomodar' com o lider.

    ah, igreja burocrata, quem vos ensinou a fugir da ira futura :P

    ResponderExcluir
  2. Concorco com vc Jean,

    Acho tudo isso uma idiotice, é bem como vc falou se faz X escondido não tem problema se faz Y abertamente sofre com uma disciplina e aqueles q fizeram X escondido ainda tem a cara de pau de ficarem te julgando, sabe o mais engraçado de tudo é que o Pastor escuta a todos menos vc...ele não deixa explicar o que aconteceu ou como aconteceu...ele entrega a sentença e ponto final...

    Orkut e Facebook não é para velhos mediocres, fofoqueiros e q não param pra pensar que amanhã ou depois pode ser os filhos, netos ou bisnetos que poderão estar envolvidos em coisa muito pior. É para Jovens que tem aquela ferramenta como meio de comunicação.

    Hoje os crentes tem Orkut só para falar da vida dos outros e para julgar, sendo q isso poderia ser uma otima ferramenta para divulgar o evangelho...Como ja percebi q só serve pra isso até exclui o meu e olha q faz tempo e mesmo assim estou envolvida num bolo q não tinha nem ideia do q estava acontecendo...

    E quer saber não estou nem ai se vc discorda do que coloquei aqui, pra mim não faz diferença...ja aconteceu o que tinha que acontecer!!!

    Enfim, tambem estou expondo o meu desabafo!!!

    ResponderExcluir
  3. Pois eh...

    essa hipocrisia é de me dar ansia de vomito.
    Nem fiquei nas discussões do grupo no fim. Mas queria ver se alguém ia me dizer alguma coisa, me condenar pelo email ou sei lá. Achei um crime essa história.

    Haverá um tempo em que seremos uma comunidade voltada ao cristianismo, preucupados em servir uns aos outros e aos próximos, sabendo que estamos sempre em luta, prontos pra cair e tolerando uns aos outros em suas compreensões individuais acerca de questões pontuais. Essa é a minha esperança.

    ResponderExcluir
  4. VALEU!!
    A MINHA OPINIÃO É QUE AS MULHERES SÓ SE SENTEM NUA QWDO MOSTRAM SÓ OS MAMILOS, E A CHANINHA,ESSA PARTE ENTÃO, SÓ SE MOSTRAR O COMEÇO DELA, E A BUNDINHA ENTÃO SÓ SE TIVER TODA PELADINHA AI ELAS DIZEM Q ESTÃO NUAS RSRSRS. ESTOU RINDO MAS É A VERDADES PERGUNTES AS CRENTES(AMIGAS Ñ CRENTES) SE Ñ É ASSIM. AGORA! QTO MAIS COMPOSTA MAIS RESPEITO SE TEM.
    AGUARDO RESP. SOBRE O MEU COMENTÁRIO

    ResponderExcluir
  5. bah, nao consigo responder porque nao consigo compreender...

    ResponderExcluir

Dá um apoio moral pro blogueiro aqui.
Comenta aí ó: