Pesquisa neste blog =D

20.2.11

Calculo Renal 3 - Minha Montanha de 7,5mm

"Cristo move as montanhas e tem poder pra salvar!"

Talvez alguém ache que porque eu fui ao médico e ao hospital pra resolver meu problema renal Deus não esteja envolvido nesse empreendimento. Eis que este alguém está absurdamente enganado.

Enquanto orava no culto de ontem, na igreja, numa reunião que não costumo frequentar por causa do excessivo barulho (e que em outros tempos eu perdia a cabeça e me estressava por ser o quase'sonoplasta' - ou alguma coisa que deveria cumprir essa missão), ao som dessa música citada em italico no começo, meditava rindo: "move as montanhas e não deixa nem uma pedrinha pra trás".

Realmente o Senhor esteve envolvido no meu tratamento. E estará ainda, porque ainda tenho que 1)descobrir por que tenho pedras nos rins e 2)remover as remanescentes. E esse texto visa mostrar qual o envolvimento dEle.

Em primeiro lugar tenho a graça de ter um plano de saúde. Pode ser que haja algum contragosto meu ao admitir que tenho que agradecer pelo meu plano, já que ele é pago por alguém com quem não tenho uma plena convivência. Mas o caso é que ele (o plano) esteve lá. E conhecendo nosso sistema público de saúde - aliás a Rayane, uma amiga, está com pedras também mas não consiguiu nem fazer um exame ainda pra poder levar ao médico sabe-se lá quando - posso dizer que se dependesse dele eu estaria com as pedras do jeito que estão até agora, correndo o risco de perder parcial ou totalmente o funcionamento do rim.

Além disso, apesar da obstrução do uretér, já explicada no post anterior, Deus me deu a graça de não sentir dor NENHUMA fato que segundo o médico ecografista (cuja designação aqui está sendo usada irregularmente de novo - não sei se esse é o nome adequado da profissão dele) é raríssimo.

Outra coisa de que tenho de me maravilhar é com a paciência e disposição da minha família já que tivemos que fazer uma tramóia enorme pra conseguir cumprir todos os nossos objetivos de sábado de manhã - dia da operação. Além disso meu tio e minha mãe foram no médico e fazer as ecografias comigo sempre, apesar da ausência de dor. Imagino se todos tem bons familiares (e tão unidos) quanto os meus. Sou agradecido, como não devia deixar de ser, a Deus por isso também.

Tenho que constar também que tive uma boa operação, num plano - como já dito - caro, e talvez no melhor (se não um dos melhores) hospitais de Porto Alegre. Meu médico disse que essa operação na UNIMED talvez custasse 2.000 reais e no Mãe de Deus (onde eu fiz) cerca de 8.000. Se tivéssemos tirado o plano há alguns meses atrás, como minha mãe disse que foi sugerido pelo meu pai, talvez não tivéssemos esse dinheiro para realizar a operação de maneira tão tranquila.

Pois bem. Fica aqui a minha constatação de como somos pequenos e como o aparente caos flui e se organiza para que tudo corra bem em nossas vidas de uma determinada maneira organizada e regida Divinamente, com que podemos meditar posteriormente sobre as nossas vivências e nos fazer melhores. E como somos inferiores a ponto de uma pedra, um acúmulo de cálcio mal formado, de menos de um centímetro, ser causador de tamanho transtorno.

Enfim é isso. Paztejamos.

PS: Meu pós-operação está tão tranquilo que ontem de noite já estava na igreja e depois numa confraternização. Cheguei em casa 3 horas da manhã (isso com o horário novo que me deu uma hora a mais). Parafraseando minha prima, "prefiro que me tirassem as 4 pedras no rim do que pegar uma virose como a da praia".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dá um apoio moral pro blogueiro aqui.
Comenta aí ó: