Pesquisa neste blog =D

24.2.11

Jeito e Suas Possíveis Aplicações

Na sociedade civilisada falante da lingua portuguesa instituiu-se uma expressão que é referente a algo que, apesar de não ser físico, aplica-se às pessoas de maneira mais ou menos como se fosse. É o tal do Jeito, que eu descrevo como "a capacidade de ser como as pessoas esperam que se seja".

Diz-se daquela pessoa que não faz as coisas segundo uma ordem aparentemente coerente, ou que não segue um determinado padrão, ou até que, apesar de seguir determinado padrão, fez coisa extremamente distoante do mesmo, por exemplo, como alguém que "não tem jeito". Diz-se dessa mesma pessoa que, se ela em algum determinado momento começar a fazer ações conforme o determinado padrão estipulado - ou, como eu diria, subconscientemente programado -, que ela "tomou jeito".

[para os lerdos: se eu fizer o que todo mundo espera eu "tomei jeito" ou "tenho jeito". Mas se eu fizer sempre o que todo mundo acha que não devo fazer, eu "não tenho jeito".]

O "jeito", enfim, é algo como uma certificação que outrém alheio dá a alguém, apesar de nem sempre esse outrém ter essas condições. Como esse outrém não se reúne em conselhos ou assembléias, dar a alguém o "jeito" se torna subjetivo, de maneira que um pode crêr e dizer que alguém "tenha jeito" e outro pensar o contrário, tornando a questão pouco trivial.

Pessoas incompreendidas ou até sábias que mudaram drásticamente de ramo são concebidas como sem jeito erroneamente. Pode-se dizer, por exemplo, de alguém que estude filosofia e troque para física, que esse alguém não tem jeito. E quando esse alguém resolve trocar mais uma vez de ramo, é bem comum que hajam exclamações do tipo "esse aí não tem mais jeito", o que pressupõe que ele um dia tenha tido. Porém, pode ser que essa nova mudança de rumo seja bem sucedida. Nesse caso diz-se que "ainda dá pra dar um jeito".

Mudando drasticamente de aspecto, em se tratando da aparência física, quando alguém não é belo mas também não é excessivamente feio, ou quando esse alguém 'não-belo' tem um determinado poder aquisitivo, diz-se que esse alguém é "jeitoso" ou, de maneira mais feminina, "jeitosinho". Nesse caso jeito muda claramente de aplicação, porque é perfeitamente concebível - e de fato bastante comum - que alguém "sem jeito" seja "jeitosinho".

 Enfim. Talvez existam outras aplicações ao Jeito não lembradas por mim. Espero que comentem outras possíveis.

Paztejamos 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dá um apoio moral pro blogueiro aqui.
Comenta aí ó: