Pesquisa neste blog =D

24.3.11

Duas Sobre Intolerância Sexual

Achei as duas no Blog Missionário. Cada qual mais absurda:


Justiça determina que cristãos aceitem homossexualismo para adoção

Um casal cristão da Inglaterra que estava lutando contra a comissão de adoções de sua prefeitura local por causa de uma decisão proibindo-os de cuidar de crianças órfãs por causa de sua fé e sua indisposição de aceitar a homossexualidade perdeu seu recurso legal no Supremo Tribunal de Londres.

Em fevereiro de 2008, Eunice e Owen Johns de Derby entraram com uma ação legal contra a Câmara de Vereadores de Derby quando a prefeitura não permitiu que eles cuidassem de crianças órfãs porque eles disseram que não queriam falar com as crianças sobre a homossexualidade como se fosse um “estilo de vida” aceitável, e que eles insistiriam em que as crianças sob os cuidados deles acompanhassem a família à igreja nos domingos.

Em novembro de 2010 ambas as partes pediram ao tribunal que decidisse se o casal cristão tinha ou não permissão de cuidar de crianças órfãs, ou se eles poderiam ser excluídos de cuidar dessas crianças sob a lei de igualdade por causa de suas convicções cristãs.

De acordo com o jornal Daily Mail, o Lorde Juiz Munby e o Senhor Juiz Beatson deram a decisão de que as leis que protegem as pessoas de discriminação por causa de sua orientação sexual “deveriam ter prioridade” sobre o direito de não sofrer discriminação com base em princípios religiosos.

Em sua decisão, os juízes declararam: “Há uma tensão entre as cláusulas da lei de igualdade com relação à discriminação religiosa e as cláusulas sobre orientação sexual. Contudo, no que se refere a cuidar de crianças órfãs ou adotá-las, as cláusulas de igualdade com relação à orientação sexual devem ter prioridade”.
“As autoridades locais têm o direito de exigir que sejam demonstradas atitudes a favor da homossexualidade”, escreveram eles.

Eunice e Owen Johns
 

Fora do tribunal hoje, o casal cristão, que é pentecostal e já trabalhou como pais adotivos de aproximadamente 20 crianças, disse para os jornalistas: “Tudo o que queríamos era oferecer um lar cheio de amor para crianças em necessidade. Temos um bom currículo e histórico como pais adotivos. Mas pelo simples fato de que somos cristãos, com opiniões cristãs normais sobre ética sexual, estamos evidentemente sendo considerados inaptos para trabalhar como pais adotivos”.

Andrea Minichiello Williams do Centro Legal Cristã, que está defendendo o casal, disse num comunicado à imprensa que o veredicto significa que os cristãos que têm opiniões cristãs ortodoxas sobre família, casamento e sexualidade continuarão a enfrentar dificuldades para cuidar de crianças órfãs e em processos de adoção e os tribunais não intervirão para deter essas dificuldades.

“Eunice e Owen Johns foram humilhados e marginalizados por um órgão governamental (a Comissão de Igualdade e Direitos Humanos) que disse que suas opiniões cristãs — que estão de acordo com as opiniões cristãs predominantes — poderiam “infectar” as crianças. Praticamente, os juízes britânicos lhes disseram que as opiniões cristãs deles podem prejudicar as crianças”, disse Williams.

“O que aconteceu com esse casal pentecostal é parte de uma tendência maior que estamos vendo em anos recentes”, comentou mais Williams.

“Os juízes estão cada vez mais interpretando a lei de um jeito que favorece os direitos homossexuais acima da liberdade de consciência. Áreas importantes da vida pública estão agora se tornando proibidas para cristãos que não querem fazer concessões em suas convicções. Se os valores morais dos cristãos são prejudiciais para as crianças e inaceitáveis para o Estado, então quantos anos ainda nos resta antes que o governo comece a tirar os filhos naturais dos cristãos?”

Fonte: Notícias Pró-Família
Via: http://www.guiame.com.br/

MINHAS REFLEXÕES: [não do Jean, da mulher logo abaixo]
 

É lamentável esta decisão do Tribunal de Londres, quando dizem que "as autoridades locais têm o direito de exigir que sejam demonstradas atitudes a favor da homossexualidade"!

Pior está a fala da Comissão de Direitos Humanos quando dizem que as opiniões cristãs do casal poderiam "infectar"as crianças"! Que falta de respeito à liberdade religiosa!!!

Ora, exigir a apologia a homossexualidade pode, mas orientar as crianças conforme suas convicções religiosas não pode?

Ademais, ressalta-se a atitude nobre do casal que se dispõe a adotar crianças, colocando-as em uma família, dando amor, carinho,... e pessoas preocupadas com as suas convicções religiosas!! Fala sério!!!

Uma pergunta que não quer calar:
Quantas crianças esses juízes, bem como esses membros da Comissão de Direitos Humanos já adotaram???
Deixar uma criança sem família foi a escolha daquele Juízo!

Meu Deus, a que ponto chegamos??!!!

Desculpem-me, mas é inadmissível um julgado deste!! Ainda bem que não partiu dos tribunais o Brasil!
Volto a afirmar que respeito a opção sexual, tanto quanto exijo que respeitem a minha opção religiosa! Ambos os direitos (Liberdade Religiosa e Liberdade Sexual) devem ser garantidos!.

Concluo que precisamos orar mais, pedir à Deus que as pessoas valorizem, mais, o ser humano; valorizem a vida; valorizem o "amor ao próximo como a si mesmo", ...

Mais uma vez fica demonstrada a necessidade de se encontrar o equiilíbrio!

Teresinha Neves é membro da Comissão de Liberdade Religiosa da OAB/SP. Possui especialização em Direito Constitucional e Administrativo, Políticas Públicas e Gestão Governamental. Mestranda em Ciências Políticas.



E a segunda:

Homem mata gay deficiente de 70 anos a pedradas afirmando seguir voz de Deus e da Bíblia

Homem mata gay deficiente de 70 anos a pedradas afirmando seguir voz de Deus e da BíbliaJohn Joe Thomas, de 28 anos, foi identificado pela polícia do estado da Filadélfia, EUA, como autor da morte de Murray Seidman, de 70 anos, e está sendo julgado por um crime que chocou a opinião pública americana em janeiro deste ano. O réu confesso afirma que Seidman lhe fez propostas sexuais e que matou o idoso com uma meia recheada de pedras pois teria recebido instruções de uma voz enquanto fazia uma oração. O réu afirmou em frente ao júri que leu no Antigo Testamento que essa deveria ser a punição para homossexuais.

Segundo o irmão da vítima, o jovem é esperto e dissimulado e está usando o pretexto religioso para minimizar sua pena, que pode chegar a pena de morte. Segundo ele, a motivação do crime seria financeira, já que o irmão possuía a capacidade mental de uma criança, por conta de doenças degenerativas. Os dois se conheceram em um hospital psiquiátrico onde Murray trabalhava na lavanderia e logo se tornaram amigos. Apesar da diferença de idade, Thomas cuidava de Murray e já era da família, respondia pelo idoso legalmente e tinha acesso a sua conta bancária. A família porém alega que não sabe dizer se a relação dos dois era sexual, mas há provas suficientes para afirmar que eles viviam uma espécie de relacionamento. O jovem era o único beneficiário do testamento deixado pelo idoso.

Depois de cometer o crime, o jovem se desfez das roupas com sangue foi até a polícia e tentou simular que havia encontrado o corpo no local. Segundo a polícia, o assassino bateu 10 vezes na cabeça do idoso até que ele morresse.

Fonte: Revista Lado A
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica GospelPor um lado, ser cristão virou prejudicial. Discordar que pessoas sejam homossexuais virou prejudicial as crianças. Um absurdo. Eu aceito que cada um faça o que quiser, mas tenho direito não simpatizar com atitudes dos outros. Ou vai me dizer que todo mundo concorda que o próximo fume? Pode até não ser ter direito de intervir, mas discordar é direito - ou cadê a liberdade de expressão?

Tem tanta coisa que se pode ser contra. Eu sou contra pessoas terem cachorros dentro de apartamento por exemplo. É meu direito achar ruim, criticar, mesmo que eu não posso definitivamente invervir para que efetivamente as pessoas tenham ou não cachorros em apartamentos. É crime ser contra? ou prejudica crianças adotadas? fala sério ¬¬

Já por outro lado, o cristianismo as vezes é ensinado de uma maneira a não tolerar o próximo. Tem pastor queimando alcorão, tem crente fazendo protesto NO ENTERRO de homossexuais (por favor, deixem a familia deles em paz nesse momento triste) e tem doente que mata outros porque leu em levítico que era essa a pena. Por favor... a lei condena a ingestão de frutos do mar e carne de porco. Se fosse assim os judeus seriam os primeiros a saírem matando todo mundo que come porco - coisa mais normal pro churrasco aqui no sul, diga-se de passagem :P

AH, essas intolerâncias sociais me deixam irritadíssimo! raaaaaaaaaaa!

Paztejamos, se conseguirmos :X

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dá um apoio moral pro blogueiro aqui.
Comenta aí ó: